Vem Cá Que Eu Te Conto - Viagens, Roteiros e Transformação

Selfie para hospedagem grátis- Experiência Índia

Selfie para hospedagem grátis- Experiência Índia

Quando estamos arrumando as malas para uma viagem não temos ideia da quantidade de experiências e "bagagem"que retornaremos pra casa. Quer saber como eu fiquei hospedada num hostel e na saída o dono não me cobrou a diária? Vem cá que eu te conto!

Agra, Índia, inverno, novembro de 2017.

Que eu fiz quase todo meu mochilão usando couchsurfing para economizar e não gastar com hospedagem não é novidade, mas não pagar a hospedagem de um hostel em troca de uma selfie já é inacreditável né?

Pois bem, minha próxima cidade seria para ver o ponto turístico que me levou a Índia. O imponente Taj Mahal! Nossa... ele é mais lindo do que eu imaginava...alguns momentos eu parecia que estava sonhando ou que estava no céu...te juro!

Mas, vamos aos bastidores...

Foram 8 horas em um ônibus velho, bancos não reclináveis, vidros frouxos sacudindo e um vento gelado escapando entre eles. Sim, o inverno na índia é bem frio!

Após esse pequeno perrengue, cheguei ao ponto final que era uma rodoviária, no meio da madrugada. Peguei um hola (que é o concorrente do uber) e fui em direção ao hostel que tinha reservado. 

Aquela foi a noite mais fria que peguei em toda a viagem pela Ásia. 

-É aqui senhora! Disse o motorista!

Olhei em volta e tudo estava deserto. Devia ser umas 3:20h da manhã. O portão do hostel estava fechado e ninguém atendia a campainha.

Olho para o celular e a bateria quase acabando. Senhor, protetor das mochileiras loucas, me ajude! Pensei.

O motorista ajuda chamando no portão, ligando para o hostel e tocando a campainha. Ele foi muito gentil. Não foi embora enquanto não abriram o portão.

Passado uns minutos, ouço o rangido do portão e vejo ele se abrir. Graças a Deus!! Que alívio!

Respirei fundo e meus lábios roxos sorriram.

Um senhorzinho me convida para entrar e pede para aguardar. 

Eu entro rapidamente, arrastando as malas e explicando que tinha reserva. Porém, ele não entendia nada em inglês. Só fazia mímica para eu esperar. Virou as costas e desapareceu.

Eu estava exausta, fazia um frio terrível e eu vestia uma calça leg preta e um casaquinho de linha. Meus lábios começaram a tremer, os dedos a ficarem dormentes... e nada do senhorzinho voltar.

Ahh.. ele voltou sim! Voltou, pegou uma cadeira de plástico branca para eu me sentar e desapareceu novamente.

Fiquei uns 20 minutos ali, em uma espécie de garagem aberta. Eu só queria um lugar quente para me abrigar. 

De repente o senhorzinho voltou! Mas, com um celular nas mãos! 

Olhou pra mim, apontou para o celular fazendo as mímicas para que eu falasse com alguém!

Paiducél!!! Isso não!!!

Falar inglês ao telefone quando se tem nível básico é mais que assustador! É aterrorizante! Ainda mais com o sotaque do inglês dos indianos.

Peguei o celular, o aproximei da minha orelha direita e a única coisa que conseguia dizer era:

Eu tenho uma reserva! Por favor , eu estou com muito frio!

Não me pergunte o que ele disse do outro lado pois ou não lembro ou não entendi! Meu cérebro estava cansado demais para conseguir fazer qualquer tradução! rs... Só me recordo das palavras ,espere! ok!

Desliguei e entreguei o celular nas mãos do senhorzinho que o recebeu dando um singelo sorriso e desaparecendo novamente.

Subitamente surge uma alma viva! rs... Um rapaz que falava inglês me chamando para o acompanhar! Ufa!

Ele pediu desculpas. Disse que o quarto não estava pronto mas que eu poderia ficar em um quarto de espera enquanto ele arrumava!

Eu agradeci arrastando a mala, contente por estar fugindo do frio. 

Ele me levou até um quarto quentinho com uma cama que tinha um cobertor cheiroso e macio e uma tv ligada passando algum filme. Tipo corujão, sabe?! Era um filme indiano e sem legendas. 

Olhei aquela cama, como aquele esquilo da Era do gelo olha para a noz!

Tirei meu calçado e me enfiei debaixo daquele cobertor! Um dos momentos mais gostosos da Índia! rs...

Enquanto estava deitada fui olhando ao redor e percebi que aquele quarto não era bem um quarto de hóspedes... 

Tinham fotos de famílias espalhadas pelo quarto, um guarda-roupa que não estava vazio e não lembrava de ter tv no quarto que reservei...

Pois é... era o quarto do moço que estava arrumando o meu quarto.

Juro que tentei ficar acordada esperando ele com a chave do meu quarto, mas fui vencida pelo cansaço... dava pra sentir que a cama ainda estava quente de alguém que estava ali...

E olhando para a tv sem entender uma palavra sequer do filme, adormeci na cama do rapaz.

Não sei quanto tempo ele demorou... acordei com ele dando uns 3 toques ligeiros nos meus pés para me acordar.

- Senhorita, seu quarto está pronto!

Acordei meio zonza, tentando me localizar e sorri agradecendo.

- Estou levando suas malas! Disse ele.

Eu levantei, calcei meus pés e o segui.

Me joguei naquela cama e não consegui acordar com o despertador. Só levantei após uns 10 sonecas ativados.

Levantei, fui tomar meu banho de balde! Sim! Lá o banho é de balde e não de chuveiro! Tomei meu café da manhã e arrumei as coisas para sair e seguir viagem! Devia ser umas 9 da manhã.

Quando eu estava sentada na mesa do café da manhã, um homem se aproximou e sentou-se ao meu lado! 

-Bom dia! Durmiu bem? Ele perguntou.

- Bom dia! Dormi sim! Respondi dando uma pausa na mastigação.

- Desculpe por ontem! Esqueceram de preparar seu quarto! Emendou ele.

- Tudo bem. No final deu tudo certo! Respondi

Inclusive, preciso saber onde faço o pagamento e o check-out, ficha... ontem não consegui fazer nada!

- Você já está de saída? Perguntou ele.

- Sim! Era apenas uma noite a minha reserva! Retruquei

- Então não se preocupe! Você não precisa pagar nada!

- Oi? Perguntei eu quase tossindo a torrada na cara dele! Eu dormi, tomei banho, estou tomando café da manhã aqui! Faço questão de pagar!

-Não precisa! Você ficou pouco tempo! De onde você é?

- Brasil!

- Que legal! Você pode tirar uma selfie comigo?

- Claro que posso! Respondi

- Estou indo no quarto pegar minhas coisas para ir embora Senhor. Tem certeza que não quer o pagamento?

- Não querida! Já tá pago com a selfie, brincou ele rindo e saiu com seu tablet na mão todo feliz!

Infelizmente, meu celular estava carregando no quarto e perdi a oportunidade de registrar esse momento. E assim, fui para o Taj Mahal, pensando no carro , como esse povo consegue mexer tanto com meus sentimentos...

Dormi na cama de um indiano e não fui estuprada. Fiquei hospedada e o dono ficou tão feliz com a conversa e a selfie que não quis cobrar a diária. 

Acredito que exista perigo e pessoas ruins em qualquer parte do mundo, mas entenda que seus pensamentos irão atrair as pessoas que estejam na mesma vibração que você.

Se você for para qualquer lugar com medo, irá atrair situações de risco e insegurança. Mas se você conseguir manter a vibração dos seus pensamentos em coisas boas, como um imã, coisas boas serão atraídas até você. Essa lei vale para qualquer área da sua vida. Seja profissional, emocional ou financeira.

Então fica a experiência pra quem ainda tem medo de viajar. O nosso medo são apenas pensamentos. Eles não aconteceram. Tome medidas preventivas normais de segurança, controle seus pensamentos e deixe o mundo te mostrar o quanto ele é lindo, apesar de estarem o difamando!

Viva suas próprias experiências! 

E como dizia Charles Chaplin, a vida é maravilhosa se não se tem medo dela!

Aline Monteiro

Saiba Mais sobre Aline Monteiro

Postado por: Aline Monteiro

Aline Monteiro nas redes sociais:

Extrovertida, brincalhona, aventureira, mãe, mulher, resolvida e também adoro mochilar um pouquinho mundo a fora!

Deixe seu comentário aqui: